Infraestrutura: As Ações Do Governo Federal Para Anápolis

Durante reunião da ACIA a senadora Lúcia Vânia falou sobre ações já conquistadas e projetos futuros para a cidade de Anápolis.

O presidente Anastacios Apostolos Dagios e diretoria receberam a senadora Lúcia Vânia na 49ª Reunião Ordinária da Associação Comercial e Industrial de Anápolis realizada na Sala de Reuniões Deocleciano Moreira Alves.

O ex-presidente da ACIA e Superintendente Executivo de Indústria e Comércio, Luiz Medeiros Pinto; o vice-prefeito de Anápolis, Márcio Cândido; a empresária e primeira dama do município, Vivian Naves; o vereador Jackson Charles; o procurador do município, Drº Antônio Eli e o ex-comandante da Base Aérea de Anápolis, Brigadeiro Bragança também participaram do encontro.

O presidente Anastacios abriu a reunião agradecendo a presença da senadora e pontuando que todas as vezes que a ACIA e o Fórum empresarial de Anápolis buscaram apoio da senadora para defender os interesses de Anápolis foram, não só recebidos, como também atendidos.

A senadora Lúcia Vânia falou a respeito da importância de uma escolha acertada para a presidência da República, sobre o Polo de Defesa de Anápolis, explicou a importância de como se dá o trabalho de um senador da república, dos principais projetos da área empresarial em que esteve envolvida e dos desafios futuros.

Sem indicar nomes, sobre a escolha do candidato a presidente da República, defendeu que deve ser uma pessoa que adote um tom conciliador, pois são grandes os desafios que o Brasil precisa enfrentar e o rombo nas contas públicas federais está em torno de R$ 149 bi e com mais de 13 milhões de desempregados, além disso, os olhos do mundo estão voltados para o Brasil devido às inúmeras potencialidades do país.

Sobre essas potencialidades elogiou o protagonismo da ACIA em identificar a vocação estratégica de Anápolis para a área de defesa nacional, sobretudo com a realização do I Seminário da Indústria de Defesa e Segurança, do qual participou.

A senadora explicou o papel do senador da república, acentuando que muitos confundem o papel do senador com o de deputado federal. Afirmou que o senador tem o papel fundamental de defender seu estado nas decisões do governo federal, citou como exemplo a briga pelos incentivos ficais com os estados do sul e sudeste do país.

Sobre as principais conquistas citou a consolidação da Universidade Estadual de Goiás (UEG), a implantação de vários Institutos Federais no Estado, o processo de caducidade na concessão da BR 153 e as ações iniciais para viabilidade do transporte da Ferrovia Norte Sul, dente outros.

Considerou como desafios futuros a realização da Reforma Política, defendendo a diminuição do número de partidos políticos e o voto distrital e facultativo; a Reforma do Estado, imprescindível para Reforma Tributária; a Reforma da Previdência, que segundo ela, precisa ser mais bem revista e os processos de concessão da BRs153, 040, 050 e 060 e da Ferrovia Norte, fundamentais para assegurar o desenvolvimento não só regional, mas de todo país.

Diretoria participativa

O diretor social da ACIA, Frederico Godoy, perguntou em relação aos incentivos fiscais já conquistados e se há perigo de retrocesso quanto à Convalidação dos mesmos.

A senadora respondeu que não, uma vez que na própria lei já está previsto um período de término, ou seja, de transição para que governo e empresários possam se preparar para a unificação do imposto.

A vice-presidente da ACIA, Cleide Gomes, explicou que é grande a dificuldade que as mães que trabalham têm em conseguir vagas nas creches, uma vez que os critérios adotados priorizam famílias que recebem bolsa família, ou seja, mães que não estão inseridas no mercado de trabalho. Pontuou ainda que as que conseguem enfrentam ainda dificuldade de atendimento quanto ao horário, incompatível com a carga horária de trabalho das empresas.

A senadora respondeu que é complexa a questão, pois a educação infantil é fundamental para o desenvolvimento da criança e as crianças de famílias de baixa renda precisam ser cognitivamente estimuladas e por isso o atendimento das creches é fundamental para elas. Mas reconheceu que os critérios precisam ser revistos de modo a atender a todos e que o número de vagas precisa ser ampliado.

O presidente Anastacios criticou a falta de fiscalização do Programa Bolsa Família, pois, sem critério e acompanhamento, segundo ele, está se consolidando gerações de famílias em condições de pobreza. Defendeu que é preciso estimular que as famílias saiam dessa condição com estudo e trabalho.

A senadora respondeu que no governo do PT houve colapso não só no Bolsa Família, mas como também em vários outros programas, como o FIES, por falta de planejamento e controle, “há casos de alunos que tiram nota zero e continuam recebendo incentivo”, pontuou.

O secretário da ACIA, Ian Moreira, perguntou a respeito de projetos que apóiem o empresário de porte médio, uma vez que há muitos incentivos para o pequeno e o grande já tem muita autonomia, e o médio é pouco estimulado. O diretor da ACIA para Assuntos do DAIA, Francisco Pontes, enfatizou a colocação do secretário explicando que o acesso aos recursos do FCO, por exemplo, é facilitado para a agricultura e pecuária, já as indústrias têm grande dificuldade de acessá-lo.

A senadora explicou que há recursos, mas que a maior dificuldade está nos critérios na concessão dos mesmos. Para o pequeno a facilidade se dá pelo volume de empregos gerados e para o grande pelas garantias de pagamento que proporcionam, é o caso das multinacionais, agricultores e pecuaristas. Por isso defende que parte do fundo seja administrada por cooperativas de crédito e até a criação de um mini BNDES, uma vez que são muitas as exigências do Banco do Brasil, que hoje administra o fundo. Aproveitou a oportunidade para convidar os empresários para esse enfretamento, “Goiás precisa encampar essa luta”, pontuou.

O diretor para Assuntos de Meio Ambiente, Baltazar dos Santos, perguntou a respeito da Ferrovia Norte-Sul, que está entre as 10 obras mais caras do mundo e ainda permanece inoperante. A senadora fez todo o histórico das ações necessárias para a realização do Leilão de concessão que será realizado em outubro deste ano e reafirmou que é fundamental a participação dos empresários de Anápolis no processo.

O empresário Moacir Melo parabenizou Lúcia Vânia pela atuação no Senado Federal afirmando que só o fato de ter liderado a aprovação da Convalidação dos Incentivos Fiscais já teria válido os 24 anos de carreira pública da senadora, uma vez que o projeto trouxe a pacificação do país, além de ter encabeçado outros projetos como o do LOAS e ser a senadora que menos falta no Senado Federal. O empresário quis saber sobre a motivação da profissional e da energia que tem para participar de mais um processo eleitoral.

Lúcia Vânia respondeu afirmando que a vida é feita de escolhas, e fazendo uma retrospectiva de sua trajetória, contou que iniciou na vida política muito cedo, escolheu estudar jornalismo para aperfeiçoamento do senso crítico e sendo a única senadora a estar na bancada federal fez a escolha de ser política e por isso se considera “caxias” no trabalho que desenvolve. Explicou que a atividade política para a mulher é cinco vezes mais exigente do que para o homem e que tem tido sucesso devido a sua atuação e exemplo, conquistando muito respeito, o resultado é o trânsito que possui nos ministérios e com políticos de praticamente todos os partidos.

 O presidente Anastacios convidou o vice-prefeito Márcio Cândido para encerrar a reunião. Ele pontuou que nas diferentes áreas da atuação pública, a senadora tem sempre uma Lei e um Projeto aprovado e que é grande o carinho e respeito de todos pela senadora em relação a isso. Finalizou enfatizando que é muito importante Lúcia Vânia ser reconduzida ao Senado Federal para garantir a defesa dos interesses de Goiás.