Marinha realiza palestra sobre Amazônia Azul na ACIA

As riquezas e desafios da conservação, proteção e defesa dos recursos marítimos brasileiros foram tema de palestra na ACIA

Na manhã desta sexta-feira, dia 29, o Comandante da Capitania dos Portos do Distrito Federal, Comandante PAULO MARCELO LÖER ministrou palestra na Associação Comercial e Industrial de Anápolis sobre a importância do mar para o Brasil, com a palestra “Amazônia Azul e os Projetos Estratégicos da Marinha”.

A palestra foi organizada pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra – ADESG-GO, em parceria com a ACIA, SINDUSCON Anápolis e o COMDEFESA-GO. O Vice-presidente da ACIA, Ronaldo Miranda destacou a contribuição e parceria da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra para os projetos desenvolvidos pela ACIA, entre elas a idealização do Projeto do Polo de Defesa de Anápolis, que levou à criação do COMDEFESA-GO.

O Coronel da Reserva do Exército e Delegado Regional da ADESG Goiás, Marcelo Vilanova, falou sobre a missão educacional da Associação que é civil e sem fins lucrativos, criada em 1971 e que conta hoje com 1800 adesguianos presentes em praticamente todas as unidades da federação.

O comandante Löer abriu a palestra destacando o trabalho das Capitanias dos Portos, que embora essencial, é invisível para a maioria da população. Em especial, a Capitania do Distrito Federal, que mesmo estando a 1.200 km do litoral brasileiro, é responsável por projetos estratégicos entre eles o Sistema de Segurança do Tráfego Aquaviário (SSTA).

Ele fez ainda uma abordagem completa sobre a história do termo “Amazônia Azul”, economia e geopolítica do oceano Atlântico e legislação marítima global. Explicou que o termo foi utilizado pela primeira vez em 2004 a fim de chamar a atenção para as riquezas naturais presentes nos oceanos que são tão ou maiores do que as presentes na Amazônia Verde. Além disso, complementou que o mar é um ponto de estratégia global e tem sido cenário de conflitos causados por interesses que divergem entre os Estados, explicando diferenças como litoral, rochedos, ilhas, zona econômica exclusiva e águas internacionais.

Também detalhou que as riquezas do mar são fundamentais para a Economia brasileira proporcionam, 95% do petróleo, 80% do gás e 45% do pescado de tudo que é produzido no Brasil. Além disso, 95% de toda movimentação de comércio exterior passam pelos portos brasileiros e 99% dos cabos de telecomunicações são submarinos.

A partir disso, a Marinha do Brasil investe em projetos futuros a fim de garantir a segurança e soberania nacional, sendo que o principal projeto é o PROSUB, Projeto do Primeiro Submarino com Propulsão Nuclear Brasileiro (SN-BR) que teve início em julho de 2012.  E no campo geopolítico, a realização do Plano de Levantamento da Plataforma Continental Brasileira – LEPLAC que visa definir o Limite Exterior da Plataforma Continental Brasileira, além das 200 milhas náuticas (Zona Econômica Exclusiva – ZEE), na qual o Brasil exercerá soberania para a exploração dos recursos naturais do leito e subsolo marinhos.

Explicou que o Estudo foi encaminhado à Organização das Nações Unidas para acrescentar 2,1 milhões de km² ao território que, somados aos 3,6 milhões de km² de ZEE, totalizará uma área marítima de 5,7 milhões de km², ampliando a AMAZÔNIA AZUL.