LIVE ACIA: Encontro Debateu a (In)Segurança do Empresário e Trouxe Clareza em Cenário Incerto

Em Live realizada pela ACIA, o presidente Sandro Mabel, mostrou clareza e segurança diante da crise e enfatizou a importância de “cuidar das pessoas”

Na noite desta quarta-feira, dia 03 de junho, a Associação Comercial e Industrial de Anápolis realizou encontro virtual com o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás, Sandro Mabel. A insegurança do empresário diante do cenário provocado pela pandemia do novo corona vírus foi o tema da discussão.  Participaram, o presidente Álvaro Otávio Dantas Maia e a diretora para Assuntos da Micro e Pequena Empresa, Adriana Brünier, que foi a mediadora na Live.

O presidente Álvaro abriu o encontro afirmando que diante desse problema grave é necessário ter muita seriedade e serenidade diante do enfretamento ao novo corona vírus, mas com a certeza de que a vida precisa continuar, “temos de ter cuidados redobrados e trabalhar com os cuidados necessários”, pontuou, ele enfatizou ainda a importância de buscar informações em fontes sólidas e seguir a ciência, deixando de lado os “achismos”.

Essa também foi a linha de raciocínio do presidente Sandro Mabel, que enfatizou a importância de cuidar das pessoas, principalmente das que estão em grupos de risco. “Este é um problema que veio para ficar e precisamos aprender a conviver com ele”, enfatizou, para isso explicou que a Fieg tem investido em estudos e soluções. Uma das principais foi uma plataforma desenvolvida pelo IEL que considera o risco e cuidados necessários para cada atividade econômica, levando em consideração o suporte à saúde de cada munícipio, com base em informações do Ministério da Saúde. “Assim podemos ter uma análise baseada em critérios científicos”, pontuou. O método já foi adotado pelo estado do Paraná, e tem contribuído com muitas prefeituras, entre elas a de Anápolis e Aparecida de Goiânia.

O presidente também fez um alerta, baseado em análise do pico de casos de problemas respiratórios de anos anteriores, e como o Covid-19 provoca síndrome respiratória, explicou que a tendência é que haja um maior aumento no número de casos em junho e julho devido ao clima frio e que por isso é preciso redobrar os cuidados. Ele também avaliou como positivo o achatamento da curva feito no Brasil com o isolamento social para não sobrecarregar o sistema público de saúde, mas alertou que é preciso se preparar, pois quanto mais se adia o pico da curva, mais se posterga a solução do problema, pois a população não desenvolve resistência ao vírus. E o resultado é que países que já estão superando esta fase fecharão as portas para o Brasil, como está fazendo os Estados Unidos, defendeu. (Acesse análise em: bit.ly/DadosCovid19Fieg)

Os presidentes Álvaro e Sandro Mabel, também responderam a dúvidas dos internautas, entre elas posicionamento sobre a gestão do poder público diante dos problemas. Ambos foram enfáticos em defender que independente de ideologias partidárias dos gestores públicos, o que o setor produtivo e a população como um todo quer é resultado efetivo nas ações, transparência com retorno eficaz da pesada carga tributária paga aos governos.